A Longa Montanha Russa do Marketing

 

Onde Comprar? Onde Vender?  Hoje pela WEB, por favor...

 

Evolução, inovação, reinvenção… Por quantos processos o Marketing passou por esses anos? Certamente milhares. Ainda mais para acompanhar todo o processo de crescimento da raça humana, que tende há crescer cada dia mais, ao invés de milhares de anos, como são acordados em disciplinas decorrentes em nosso longo processo de aprendizagem.

Todo o processo de Marketing foi evoluindo com o decorrer do tempo. Ao analisar suas práticas em projetos de TV, rádio e impresso, percebe-se que isso antes era o mais certo possível. Como por exemplo o seriado Made Man, que se focaliza nos publicitários dos anos 60, que têm todas as artimanhas para ter o público alvo aos seus pés.  Antigamente, conforme acordado em um dos episódios da série, era mais fácil convencer ao público de que o cigarro é algo sofisticado, sinal de poder e inteligência e assim, calando a medicina que constatou na mesma época que o cigarro era a porta mais aberta para a tão temida morte. Hoje, isso não é mais possível.

Toda a evolução tecnológica veio a favor do ser humano todos sabem. Mas isso só é possível quando se aplica de forma adequada. Hoje, é possível encontrar de tudo pela internet, disso já se sabe a mais de uma década. Mas qual é a melhor forma de se aplicar isso? Quais são as táticas e estratégias mais eficientes? Como focalizar em um consumidor atuante e exigente, que se dispersa com a concorrência com tanta facilidade? Então, ai está o desafio…

Onde Comprar? Onde Vender?  Hoje pela WEB, por favor…

O conceito de mercado mudou radicalmente no século XXI. Se antes para obter um determinado produto de uma cidade distante poderia demorar meses, hoje demora-se 12 horas, no máximo. A internet abriu as portas para um novo tipo de comércio: o eletrônico. Quanta agilidade, em questão de poucos minutos. Espertas mesmo são as empresas que conseguiram captar o novo consumidor mundial: o usuário de internet. Hoje, cada ano que se passa, o consumo via WEB está crescendo de forma apoteótica. E isso tende a crescer ainda mais.  Seja pela forma B2C (business to consumer), C2C (consumer to consumer) ou B2B (business to business).

Certos de que os usuários estão mais exigentes, por serem formadores de opiniões via WEB, as empresas estão começando a perceber de forma mais séria este novo tipo de consumidor. São consumidores mais exigentes, querem custos menores e vantagens superiores. Se isto fosse dito há uns 15 anos atrás, poderia ser motivo de piada. Hoje é motivo de preocupação e muito, mas muito cuidado. Não é nada agradável uma reclamação em redes sociais ou até mesmo perfis que degredem o conceito da marca, pois o boca a boca hoje é mais forte do que se imagina. E via WEB, as proporções são tão maiores.

Sanar a voraz fome do consumidor sobre o conhecimento. Isso sim é um grande desafio. Dar a ele o que ele quer naquele momento. Isso é imprescindível. Toda uma tecnologia está em pleno vapor para satisfazer o cliente e encher o bolso de quem investe. O negócio é saber implantar um bom planejamento. Aliás, melhor ainda oferecer a ele mais opções de uma determinada mercadoria. Se ele quer um determinado livro de um escritor famoso, ou de uma editora de renome, ou até mesmo de um determinado gênero, ele se sentirá privilegiado, pois ele poderia comprar apenas um livro, ou que tal a coleção inteira com um desconto formidável ao seu bolso, com direito a ler o que outros consumidores relatam sobre o produto e a eficiência dos serviços prestados pela empresa. Ambas as partes saem ganhando. O usuário, sem se deslocar, recebe o seu produto onde estiver e a empresa produz a partir de demanda, ganhando notoriedade e confiança. Tudo muito sofisticado, amplo e muito mais barato.

Produção por demanda: esse é o lema. Muitas empresas estão se adaptando a este novo conceito, e isso vem gerando resultados positivos. Ainda não se tem notícia de uma forma melhor em agradar o consumidor, quando é ele que escolhe a personalização de seu produto. É gratificante e sensato. Estoques devem ser dizimados em pouco tempo.

Mas que tem muitos seguimentos que estão andando pra trás, todo mundo certamente já sabe muito bem. Exemplos disso são as indústrias fonográficas e cinematográficas. Quanto investimento em um mercado de mídia saturada, enquanto a maior parte das pessoas está conectada pela internet. Isso sim é ir contra a maresia. MP3, diversos formatos de vídeos, esses arquivos que tão facilmente trafegam pela internet estão dando muito prejuízo. Filmes e CDs que vazam pela internet antes do lançamento, frustrando todo um processo. Mas, com isso, o usuário também atua como produtor musical ou audiovisual. Quantos artistas, mesmo que nem todos sejam de fato, cresce pela internet? Quantos curtas são lançados em diversos ambientes de vídeos e arrastam uma legião de fãs. Este “contra” tem seu lado favorável e vice-versa, basta ter discernimento.

Certo, se para este seguimento o foco do problema está ali, por que não atuar naquele exato ponto? O usuário quer novidades, e se for válido, ele pagará o valor necessário. Algumas empresas trabalham no ramo de oferecer ao usuário apenas o que ele deseja de entretenimento. Um filme por exemplo. As locadoras estão decretando falência pela internet, por que elas não passam a oferecer seus filmes via WEB? Dar aos usuários uma cota de filmes por um determinado valor e tempo, tudo através do computador. E olha que isso já existe de tal forma.  Tudo isso diminui e muito custos e aperfeiçoa todo um complexo processo. Músicas? Bom, que tal oferecer ao usuário apenas a música que ele deseja, não o fazendo engolir um CD inteiro Aliás, CD deixa para os fãs mais aficionados, assim como para os DVDs também.  Outro ponto relevante: ao destacar um artista ou um filme de renome no momento, por que não ir ao passado e buscar um produto do mesmo gênero? Essa linha é bem vinda para muitos usuários, permitindo ainda mais conhecimento sobre determinado gênero, podendo acarretar ainda mais vendas.

Muito se pode fazer com o Marketing Digital. Nesse mar de informações que compõem a internet, o que vale é se destacar. E para isso, existem procedimentos que ajudam e muito a empresa a alavancarem seus negócios. Convencer ao usuário que a empresa tem o melhor serviço, os melhores produtos, é uma tarefa árdua que necessita de muita disciplina. Mesmo emergente, este mercado já tem nomes de peso, e bater concorrências deste seguimento pode parecer difícil, mas chegar ao mesmo patamar, não é impossível. Mecanismos de buscas, índices de relevância de conteúdo, palavras chaves, campanhas, virais, redes sociais… Uma certa infinidade de possibilidades estão presentes, apenas deve-se saber fatiar o bolo e degustar com moderação.

Caminhar entre megabytes, e não um passo de cada vez…

Com todo o aparato discutido sobre tudo que anda ocorrendo na globalização digital, percebe-se o novo cenário que o mundo está se adaptando. A era da informação é crucial ao momento, já que a internet está presente para solidificar conhecimento para todos via rede.

Então o Marketing já está nesta altura do nível necessário. Apesar de que ainda é pouco implementado, as empresas que já utilizam, sentem o resultado positivo tanto através de suas contas bancárias quanto nos picos elevados de seus gráficos evolutivos.

Ao adaptar ao novo consumidor atuante, formador de opinião, o Marketing Digital ganha força em todos os sentidos. As estratégias e diretrizes formadas a partir de seus conceitos demonstram resultados eficazes e coerentes, preenchendo os olhos de quem admira uma inovação, reinvenção ou evolução. Ao saber aplicar, estes três pontos conseguem caminhar juntos, oferecendo mais do que o esperado.

Então esta é a montanha russa que o Marketing vem passando ao decorrer do tempo. Quem guia é o usuário e as trilhas ficam por conta da Internet. Cabe a empresa construir bons trilhos para que seu usuário se sinta bem em seu percurso. Pelas trilhas da internet, quem é mais esperto caminha bem mais. Mas cuidado com as curvas e descidas, elas existem e são inevitáveis. Apenas saber conduzir é o suficiente, pois sempre após uma descida, há uma subida pode ser ainda maior.

2 comentários em “A Longa Montanha Russa do Marketing

  1. PAULA KASAS disse:

    Quero colocar seu blo no meu…como faço?
    PAULA KASAS

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s